28 maio 2006

Voa Passarinho...

Era uma vez um canarinho que nasceu e foi criado em um viveiro. Ele conhecia cada canto daquele seu habitat, que para ele era natural.
Em uma manha de ventos fortes ele olhou para o horizonte e viu o vôo dos pardais. Seus olhos foram capturados pelas cenas que lhe tiramvam o fôlego. Ele nunca tinha visto um vôo sem que precisase bater as asas.
Imediatamente a curiosidade encheu seu coração passarêro!!! Desde aquele dia ele sempre esperava o momento certo quando poderia sair pela porta do viveiro.
Esse dia chegou. No descuido do tratador ele saiu desesperado em direção ao seu futuro. Ele voava rápido, rápido...muito rápido. De repente...um impacto.....seu corpinho é arremesado pra tras...nosso pequeno aventureiro teve sua primeirta experiencia fora da gaiola; ele conheceu uma janela de vidro. ele não entendia como a liberdade puderá machucar-lhe tanto. Por fim, achou uma fresta e saiu pra vida.
Com o passar do tempo nosso querido penoso começou ficar deprimido...Sentia que estava faltando algo em sua vida. Os vôos razantes já não eram tão atraentes. O medo de encontrar vidraças o corroia por dentro. Ele ficou triste, muiot triste...até que um dia ele entendeu que estava com saudades era da gaiola. Não pensou duas vezes...voltou, e no descuido do tratador ele se arremesou em seu passado, que agora era seu futuro.
Bem, moral da história...tem gente que não sabe ser livre.

7 comentários:

debora disse...

as gaiolas são as regras que foram criadas e usadas de modo generalizante

Aldair disse...

Entendi perfeitamente ..... tenho falado muito sobre isso esses dias ... gostei mano!!!

Rodrigo Gripp disse...

Bom, o passarinho não foi ensinado a viver fora da gaiola... mas quem experimentou o que é liberdade, mesmo que volte a prisão, pra sempre se lembrará do que é ser livre. Já é um bom começo...

gerson disse...

o fato é que, a liberdade so existe pra alguns como antítese da realidade...ou seja, pessoas as vezes precisam estar presas pra entender a liberdade....doido...

monica disse...

é verdade meu amor. Que bom poder viver ao lado de um homem que é livre e que entende a liberdade. Nao me arrependo nem um pouco em estar junto com vc para levantar esta bandeira para nossa geração. Existe sim uma liberdade, onde podemos viver. Amo vc. Demais. Meu querido amigo. Com muitas saudades, Monica

gerson disse...

as vezes acho uma tarefa ardua....nao trazer a liberdade `as pessoas, mas mante-las livre...isso 'e dificil

Rodrigo Gripp disse...

Gerson,
Tipo... não deixar o cão voltar ao vômito...

Também pode ser uma forma de o homem se "proteger" da vida lá fora, ficando preso e cercado de aparente segurança. Aliás, na vida física, aqui no RJ, atualmente, é melhor ficar em casa do que sair na rua... tá demais esse negócio! rsrsrs